MELHOR DESEMPENHO DO NORDESTE

Ceará abre 9.717 vagas celetistas em junho e acumula 33.256 desde janeiro

Por Marcelo - Em 29 de julho de 2021

O Ceará gerou 9.717 postos de trabalho com carteira assinada no mês de junho, resultado de 38.045 admissões e 28.328 demissões no período. Com isso, encerrou o primeiro semestre deste ano com um total de 33.256 novas vagas celetistas preenchidas desde janeiro, no mercado de trabalho local.

As informações constam do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados do Ministério da Economia, divulgadas nesta quinta-feira (29). Ainda de acordo com o Caged, de janeiro a junho ocorreram 221.027 contratações e 187.771 dispensas, resultando no bom saldo de 33.256 empregos criados, apesar do cenário pandêmico.

Setor de serviços foi o maior gerador de novos empregos no Ceará                      Foto: Portal IN

E esse número é ainda mais significativo quando se faz uma comparação com o resultado obtido em 2020, que recebeu fortes impactos da pandemia de Covid-19, com muitas restrições, inclusive lockdown prolongado, quando foram gerados apenas 18 mil postos de trabalho, a maioria no final do ano.

O melhor mês na geração de empregos em 2021 foi fevereiro, quando foram abertas 11.255 novas vagas em todo o Estado, seguido por junho, com os 9.717 postos criados. Março foi o pior mês de 2021, com resultado negativo de 2.305 demissões a mais que admissões.

O desempenho do Ceará, em junho, foi o melhor da Região Nordeste, sendo que a segunda colocação ficou com a Bahia, com 7.604 novos postos de trabalho criados, e o terceiro lugar ficou com o Maranhão, com 6.745 empregos, pouco acima de Pernambuco, com 6.526.

O governador Camilo Santana comemorou o resultado. “Aumentar a geração de empregos para os cearenses é nossa prioridade. Recentemente, lançamos o programa Mais Emprego Ceará, que vai gerar 20 mil postos de trabalho de forma imediata. O Estado irá pagar metade de um salário mínimo de cada trabalhador contratado nos estabelecimentos dos setores de comércio e serviços”, afirmou.

Camilo Santana tem trabalhado para ampliar a geração de empregos no Estado

“E já estamos assinando os contratos com os cearenses inscritos no Ceará Credi, programa de microcrédito que terá R$ 100 milhões de investimentos com o objetivo de ampliar oportunidades de trabalho e renda para empreendedores formais e informais. Em paralelo, seguimos firmes com nossa política de atração de investimentos para instalação de novas empresas no Estado”, completou Camilo Santana.

Dentre as principais atividades econômicas existentes no Estado, em junho foram 4.060 vagas no setor de serviços, 2.461 no comércio, 1.367 na construção civil, 1.085 na indústria e outras 744 na agropecuária. E Fortaleza foi a maior geradora de vagas, com 49,6% do total e 4.820 postos criados, fruto de 21.285 admissões e 16.465 demissões.

Resultado Brasil

Em nível nacional, o primeiro semestre encerrou com o total de 1.536.717 novos empregos criados, resultado de 9.588.085 contratações e 8.051.368 desligamentos realizados. Em igual período de 2020, ocorreu o fechamento de 1,19 milhão de postos celetistas em todo o território nacional, devido à pandemia.

No mês passado, segundo o Caged, o Brasil criou 309.114 empregos com carteira assinada, pois foram geradas 1.601.001 novas vagas e ocorreram 1.291.887 demissões. A exemplo do Ceará, o setor de serviços foi o que mais criou postos de trabalho (125.713), seguido pelo comércio (72.877) e indústria (50.145).

Mais notícias

Ver tudo de IN Connection