culturas distintas e paisagens extraordinárias

Fotógrafa Ingrid Barreira lança exposição “Som do Silêncio” na Galeria Mariana Furlani

Por carol - Em 17 de junho de 2022

No próximo dia 22 de junho, às 19h, acontecerá a abertura da exposição SOM DO SILENCIO da fotógrafa Ingrid Barreira, na Galeria Mariana Furlani, em Fortaleza, com curadoria de Luciana Eloy, pesquisadora e curadora em arte.

Dc97d6ec Bab4 4ef6 B68b 08713e72a0f1

Ingrid Barreira

A exposição reúne 12 fotografias de Ingrid Barreira, um recorte de seu expressivo arquivo de imagens pelo mundo em busca de registrar culturas distintas e paisagens extraordinárias. Na mostra SOM DO SILENCIO o visitante poderá vislumbrar fotografias que traduzem uma narrativa da experiência sensorial da fotógrafa por territórios entre a floresta Amazônica, Pantanal Matogrossense, as Acacias solitárias congeladas no tempo por mais de 900 anos e as árvores do Aloés no deserto da Namíbia.

Nessa cartografia, árvores e vegetações são elementos-chave que habitam mundos aquáticos e terrenos, construindo paisagens entre o denso verde das florestas, as dunas alaranjadas do deserto e raízes aéreas nos igapós que ganham força luminosa pelas lentes de Ingrid Barreira.

A mostra nos fala desses territórios sensíveis captados pela luz de um olhar imerso na experiencia sensorial de Ingrid para quem fotografar paisagens distantes tem se tornado uma “experiência contemplativa, de encontro consigo e com o mundo”.

O título, SOM DO SILÊNCIO, é fruto de um exercício de escrita reflexiva de Ingrid sobre a experiência imersiva da fotografia que ao longo do tempo vem depurando seus filtros sensoriais. As imagens não são apenas registros fotográficos, elas ganham a dimensão do testemunho da escuta dessa experiencia contemplativa, agora direcionada ao olhar do outro – o visitante da mostra.

Para a curadora, Luciana Eloy, “escutar o som do silencio, resulta dessa experiencia contemplativa da paisagem. É um som evocativo dessa imersão entre a fotógrafa, a câmera na mão e o ambiente. Nessa atenção sensorial e imersiva, a fotógrafa se torna templo e com a natureza compõe uma paisagem-momento que nessa exposição se mostra como paisagem-imagem” aberta à experiencia.

Na exposição, o visitante além da fruição estética, vai poder perceber a gama de suportes executados com tecnologia de ponta em impressão e montagem das fotografias, como em Papel Algodão, Metacrilato e em Canvas, todos em impressão FineArt. As obras se dispõem em 10 formatos individuais, (1) díptico e (1) tríptico. A mostra conta, ainda, com uma instalação, elaborada em parceria entre curadora e o designer Pedro Boaventura – “Sons da Floresta” é uma instalação sonora site-specific, no jardim interno da galeria com as fotografias de Ingrid sublimadas em tecidos transparentes, cujo sentido é simular a sensação imersiva e contemplativa de escutar a floresta.

Mais notícias

Ver tudo de IN News