CRÉDITO E INOVAÇÃO

Banco do Nordeste financia o primeiro fabricante de óculos em 3D do Brasil

Por Marcelo - Em 4 de agosto de 2022

Já imaginou comprar óculos construídos em impressora 3D a partir do formato do seu rosto? Essa prática começa a ser realidade com o financiamento que o Banco do Nordeste está realizando na primeira marca do produto no Brasil. Os recursos, em torno de R$ 87 mil, foram disponibilizados por meio da linha FNE Inovação, na Bahia. A empresa Yoface nasceu de um projeto apoiado pelo Hub de Inovação do BNB no Campus Integrado de Manufatura e Tecnologia (Cimatec), do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai), em Salvador.

Óculos em impressão 3D terão recursos do FNE Inovação do BNB                     Foto: Divulgação

A técnica utilizada de manufatura aditiva, mais conhecida por impressão 3D, tem se tornado um recurso da indústria por se aproximar das demandas dos consumidores, com personalização e agilidade. O projeto visa utilizar inteligência artificial para realizar biometria do rosto de usuários para a produção de óculos em formatos personalizados em impressoras 3D industriais. A empresa está começando, este ano, a produção em larga escala após o financiamento.

De acordo com o diretor de Administração do BNB, Haroldo Maia Júnior, o programa FNE Inovação vai além dos projetos apoiados pelo Hub de Inovação mantido pelo banco de fomento. “Nós oferecemos financiamento a empresas, incluindo rurais, que queiram inovar em seus processos de produção, produtos, serviços e modelos de negócio”, afirma.

O Banco do Nordeste já financiou, no primeiro semestre do ano, mais de R$ 634 milhões em inovação. Os recursos foram aplicados em toda a área de atuação da instituição. As operações do FNE Inovação possuem taxa de juros pré-fixada a partir de 0,57% ao mês, com prazos de até oito anos para investimento e até cinco anos para capital de giro, incluindo carência de um ano.

No setor rural, o FNE Inovação financia projetos para modernização de empreendimentos agropecuários, contemplando investimento e custeio associado ao investimento. Nos setores não rurais, serve para implementação de um produto, serviço, processo novo ou significativamente melhorado, bem como um novo método organizacional nas práticas de negócios, tanto para obras quanto para compra de equipamentos ou capital de giro.

Mais notícias

Ver tudo de IN Business