ABAIXO DO ESPERADO

Flash Imobiliário de fevereiro acende luz amarela para o setor da construção civil

Por Marcelo - Em 24 de março de 2022

O resultado do Flash Imobiliário, referente ao mês de fevereiro, acionou a luz amarela para muitos empresários do setor no Ceará, uma vez que depois de um 2021 com excelente desempenho, os números do mês passado foram quase todos negativos, com retrações chegando a até 93%, como no caso de segunda moradia, frente a fevereiro do ano passado.

O único desempenho positivo foi registrado pelo segmento de salas comerciais, com vendas de 21 unidades no mês passado e VGV de R$ 6 milhões. No acumulado do primeiro bimestre foram comercializadas 31 salas e o VGV ficou em R$ 10 milhões.

Ricardo Bezerra ainda acredita numa reversão do cenário este ano                    Foto: Portal IN

De acordo com o diretor da Lopes Immobilis, Ricardo Bezerra, o levantamento de mercado mostrou que o residencial vertical, registrou a venda de 122 unidades, queda de 48%, com um VGV de R$ 76 milhões e uma retração de 53%, frente a igual mês de 2021. e no acumulado do bimestre foram vendidos 285 apartamentos (-36%) e VGV de R$ 168 milhões (-48%).

Apesar disso, ressaltou que a pesquisa revelou um tipo de imóvel que vem seguindo trajetória de boas vendas no mercado imobiliário de Fortaleza. “O produto mais certo de vender, que é bom para o investidor e é bom para os clientes, é o apartamento de dois quartos, média de 50m², com uma suíte, uma varanda e uma vaga de garagem”, disse.

Destacou que o mercado de moradia popular, o Programa Casa Verde Amarela, vem numa descendente de vendas há alguns meses, chegando a 10% de queda em comparação com o ano passado. “Então acende a luz amarela, pois com a alta dos juros fica mais difícil para a população fazer o financiamento”, salientou Ricardo Bezerra.

Estoque de 7.830 unidades, na faixa de R$ 3,1 bilhões, que é relativamente barato. Entretanto as vendas nos dois primeiros meses de 2022 só comercializaram 1.031 unidades, incluindo moradias populares, com VGV de R$ 304 milhões.

Aluguéis

Já no estudo sobre o setor de locações, realizado em parceria com a SJ Imóveis, revelou que 53% dos fortalezenses buscam apartamentos com três quartos, seguidos pelos de dois quartos, com 41%. Além disso, mostrou que 67% das pessoas preferem alugar apartamentos com armários e box, cujo prazo médio de locação é de 51 dias, e 33% os imóveis sem armários e box, mas nesses casos o prazo para alugar chegar a demorar, em média, 138 dias.

Patriolino Dias afirmou que o o momento é de cautela para o setor construtivo 

Segundo o empresário Patriolino Dias, diretor da Dias de Sousa Construções e presidente do Sinduscon-CE, o Flash Imobiliário demonstrou o mercado como está. Ressaltou sua preocupação com a tendência de alta da Selic, que deve aumentar um pouco mais. E comemorou que os estoques de médio e alto padrão estão baixos, mas o momento é de cautela e o setor deveria repensar alguns lançamentos.

“Outra coisa que me deixa preocupado é onde ocorreram descontos, pois em conversa com construtores todos me disseram que estão segurando preços, uma vez que os custos estão aumentando demais. Os bancos estão apertando, não têm financiado os empreendimentos, e muitas construtoras estão buscando FDICs, cujos juros são mais elevados”, lamentou.

Já Sérgio Macedo, presidente da Coopercon-CE, ressaltou que os números devem ser comparados com os de anos anteriores, como 2020, 2019, 2018, pois 2021 foi muito bom. “A gente tem de pensar positivo, pois o mercado está aí. Não acredito que a gente consiga chegar aos números de 2021, mas ainda temos muito para andar neste 2022”, destacou.

Mais notícias

Ver tudo de IN Business