INVESTIMENTO SUSTENTÁVEL

Presidente da FIEC e autoridades prestigiam inauguração de usina solar e projeto de reflorestamento em Marco

Por Marcelo - Em 10 de agosto de 2021

O presidente da Federação das Indústrias do Estado do Ceará, Ricardo Cavalcante, prestigiou a inauguração da Usina Solar e do Projeto de Reflorestamento do Grupo Jacaúna, que aconteceu nesta terça-feira (10) na cidade de Marco. A solenidade foi promovida pelo Prefeito local, Roger Aguiar, e o deputado Rogério Aguiar, proprietários do Grupo Jacaúna.

Diretoria da FIEC e sindicatos na inauguração da Usina Solar                           Foto: Divulgação

Também participaram do evento o governador Camilo Santana; o senador Cid Gomes; o presidente da Assembleia Legislativa, Evandro Leitão; os presidentes do Sindmóveis, Sindserrarias e Sinconpe, Júnior Osterno, Agostinho Alcântara e Dinalvo Diniz, respectivamente; além dos diretores da FIEC Chico Esteves (Administrativo) e Edgar Gadelha (Financeiro).

“Hoje é um momento muito importante para a indústria cearense. A cidade de Marco é uma referência moveleira para o Estado e vemos aqui algo impressionante. Uma empresa nacional com mais de 1.600 colaboradores, trabalhando na área da inovação, tecnologia e design. A inauguração dessa planta de energia solar, além da área de reflorestamento de mais de mil hectares, é um exemplo para o futuro”, destacou Ricardo Cavalcante.

A primeira usina solar do Grupo Jacaúna Móveis conta com capacidade instalada 2,2 megawatts de energia, gerando 1,8 Mw de energia solar abundante e não poluente. Desta forma, o parque fabril do grupo deixará de consumir cerca de 90% de energia gerada de fontes tradicionais, como a hidráulica que, principalmente no Nordeste, utiliza água que poderia ter outros fins como agricultura e consumo humano. E outras fontes geradoras como carvão mineral (termelétrica) e óleo diesel (usinas térmicas) que são poluentes.

Rogério Aguiar, Ricardo Cavalcante , Camilo Santana e Cid Gomes, em Marco

Já a inauguração da segunda fase do projeto de reflorestamento privado possibilitará que a Jacaúna, daqui há dez anos, seja abastecida com sua própria madeira, que além de usada para seu consumo, também será comercializada no mercado interno e para exportação.

O plantio engloba a recuperação de áreas de mata nativa, gerando abrigo e alimento para cerca de mais de 40 espécies de animais, como também captura da atmosfera de cerca de 200 toneladas de gás carbônico por hectare. A primeira fase do reflorestamento se estende a 1 mil hectares, e a segunda fase com mais 1 mil. A ideia é chegar a 5 mil hectares de reflorestamento na região.

Mais notícias

Ver tudo de IN Business