test-drive

Volvo C-40: dirigindo o carro do futuro. Para ele, só falta voar!

Por jota - Em 10 de junho de 2022

Jota Pompílio, editor

 

Img 20220610 Wa0005 (1)

Está aí um modelo que qualquer integrante da “Família Jetson” dirigiria sem problema: design futurista, hiper silencioso, combustível restabelecido via tomada elétrica, comandos inteligentes, mas seu único “defeito” é não ter um botão que o faça voar. Cedido pela autorizada Volvo Suécia Fortaleza, do Grupo GNC, esse é apenas algumas das características do elétrico C-40 que testei na capital cearense.

Img 20220610 Wa0007 (2)

Feito para não usar motores a combustão, o SUV cupê tem o conjunto elétrico por dois motores de 204 cv em cada eixo chegando a 408 cv e 67,3 kgfm, e alimentados por um pacote de baterias com 78 kWh.

Pelas fotos, nem precisa dizer que o modelo nos pega logo pelo o visual, né? Aliás, o cupê sueco foi desenhado para tirar melhor proveito do aparato elétrico. Seu teto mais baixo e com caimento mais acentuado, combinado ao spoiler no topo do vidro traseiro e o aerofólio bem na extremidade do carro ajuda a romper melhor o ar.

Img 20220610 Wa0006

Tudo parece mágico e fácil no C40. Um exemplo é que a chave presencial age por você: em vez de girar a chave ou pressionar algum botão de partida, basta entrar, pisar no freio e colocar no Drive e bingo! Ele anda! Para desligar, é só apertar o Parking e sair. Ele mesmo aciona o freio-de-mão!

Parece nossa mãe

É preciso lembrar, porém, que modelos da Volvo são como mães protetoras ao extremo. Segurança está em primeiro lugar! Além de monitor de pontos cegos, piloto automático de emergência, leitor de placas e assistente de faixa, que garantem sentidos suficientes para ter condução semiautônoma, o C40 freia para obstáculos dianteiros e traseiros por padrão, então não será muito difícil procurar vagas apertadas e acionar o assistente de baliza automática e fazer bonito.

C40 Recharge Gallery 4 1x1

No dia a dia do “para e anda” do trânsito, o C40 fica à vontade. Com o One Pedal Drive em ação, basta parar de pressionar o pedal e o veículo começa a frear – e recarregar as baterias. Quando necessário, pisar no freio da forma convencional resulta em paradas rápidas e eficientes. Saindo das ruas e entrando nos gigantescos viadutos que atravessam a cidade para chegar às rodovias, o “powertrain” do C40 deixa clara a sua força. Os 67,3 kgfm de torque chegam às quatro rodas com um imediatismo impressionante. Quando o motorista se adapta à transmissão instantânea de torque característica dos veículos elétricos, o C40 transmite confiabilidade para fazer ultrapassagens seguras e retomadas instigantes.

Volvo C40 Recharge 2021 Im Ersten Fahrbericht

A aceleração de 0 a 100 km/h em apenas 4,7 segundos é digna de um superesportivo. O limitador de velocidade permite que o crossover acelere “apenas” até os 180 km/h, velocidade atingível sem aparente esforço. A direção elétrica progressiva funciona bem e fica ligeiramente mais firme em altas velocidades.

Um fato curioso é que as baterias ficam sob o assoalho e ajudam a “grudar” o crossover no chão nas curvas rápidas.

O que casa melhor?

Na dinâmica, por exemplo, você no máximo pode ativar o modo off-road ou configuração que deixa a direção mais responsiva. O modo Sport é você quem faz, acelerando com tudo, e o modo econômico é ser delicado com o acelerador ou, no máximo, reduzir a efetividade no ar-condicionado. É uma simplicidade que coloca o motorista no controle.

 

 

Mais notícias

Ver tudo de IN Road