RECONHECIMENTO NACIONAL

EDP vence categoria energia na décima edição do Anuário Época Negócios 360°

Por Marcelo - Em 11 de outubro de 2021

A EDP foi reconhecida como melhor empresa do setor de energia pela décima edição do Anuário Época Negócios 360°. A premiação selecionou as vencedoras de cada categoria com base na avaliação de seu desempenho em seis critérios – financeiro, governança corporativa, inovação, pessoas, sustentabilidade e visão de futuro.

EDP deverá fornecer energia eólica offshore a Hub de H2V no Pecém               Foto: Divulgação

O anuário é a mais abrangente pesquisa empresarial do Brasil e chegou à sua décima edição em 2021 e é realizada em parceria com a Fundação Dom Cabral. A companhia está entre as melhores em cinco das seis dimensões avaliadas, sendo considerada a melhor em governança corporativa dentro do setor de energia.

Também já anunciou que em parceria com a francesa Engie, com quem integra a joint venture Ocean Winds, sediada na Espanha e que atua no segmento de produção de energia eólica offshore – deverá construir parques eólicos desse tipo para abastecer usinas de produção de Hidrogênio Verde no Ceará.

“O destaque da EDP como empresa campeã em seu segmento demonstra o reconhecimento de um modelo de negócio pautado pelos princípios do ESG e por nossa busca constante por inovação, gerando valor tanto para nossos clientes e investidores, quanto para a sociedade como um todo”, afirma João Marques da Cruz, CEO da EDP no Brasil.

Investimentos

A EDP anunciou um investimento recorde de R$ 10 bilhões no Brasil para o período de 2021 a 2025, com destaque para os segmentos de distribuição, geração solar e transmissão. A companhia foi a primeira do setor de energia na América Latina e de grande porte no Brasil a ter sua meta de redução de emissões de CO2 aprovada pela iniciativa internacional Science Based Targets (SBTi).

Além disso, tornou-se a primeira empresa do setor elétrico a criar uma vice-presidência dedicada ao ESG e está entre as cinco empresas listadas na B3 com maior número de mulheres no Conselho de Administração, chegando a 33%. Esse pioneirismo já havia sido reconhecido com o selo Women on Board, apoiado pela ONU Mulheres Brasil.

Mais notícias

Ver tudo de IN Business