ENERGIA DO FUTURO

FIEC Summit Hidrogênio Verde leva o Ceará ao centro das atenções mundiais

Por Marcelo - Em 2 de agosto de 2022

Com a expectativa de atrair mais de US$ 20 bilhões em investimentos nos próximos cinco anos, para a implantação do Hub de Hidrogênio Verde (H2V), no Complexo do Pecém, a Federação das Indústrias do Estado do Ceará realiza nesta quarta e quinta-feiras (3 e 4), o FIEC Summit 2022 Hidrogênio Verde. O evento será realizado em formato híbrido, já conta com cerca de 1.600 inscritos, de 20 países diferentes, entre os quais: Angola, Alemanha, Austrália, Brasil, Canadá, Chile, Colômbia, Emirados Árabes, Espanha, Estados Unidos, Índia, Itália, Panamá, Paraguai, Portugal, Países Baixos, Reino Unido e Tanzânia.

Hidrogênio Verde utiliza fontes renováveis de energia na sua produção           Foto: Divulgação

O encontro irá contar com a participação de especialistas e autoridades para discutir temáticas ligadas ao HUB de H2V durante palestras, exposições de cases nacionais e internacionais, além de debates, rodadas de negócios e visitas técnicas. Com o apoio das multinacionais interessadas em construir usinas para a produção do Hidrogênio Verde no Ceará, a comissão organizadora irá promover um concurso de trabalhos acadêmicos e projetos de pesquisa. Os trabalhos mais bem avaliados serão expostos durante os dois dias da programação. Momento propício para conhecer as oportunidades e as inúmeras atividades integradas desta enorme cadeia produtiva que se forma.

O Hidrogênio Verde vem se configurando como uma resposta às emissões do Dióxido de Carbônico (CO²), gás que tem provocado consequências drásticas ao meio ambiente. Por meio de um processo de eletrólise da água, a substância será produzida a partir de fontes renováveis de energia (eólica e solar, principalmente). Por isso, é considerado o combustível do futuro, já que as moléculas de oxigênio e hidrogênio da água são separadas. E a energia utilizada nesse processo é considerada sustentável, porque vem a partir de fontes renováveis.

É nesse sentido que o Brasil, o Nordeste e o Ceará podem despontar, em função do potencial natural para a produção de energia limpa, com baixo custo, conforme destacou um estudo do Bloomberg News Energy Finance. Levadas pela expectativa de prosperidade econômica, várias multinacionais já sinalizaram que vão instalar suas bases no Complexo do Pecém, instituição que integra o HUB do Hidrogênio Verde ao lado do Governo do Estado do Ceará, FIEC e Universidade Federal do Ceará (UFC).

“Realmente, a FIEC tem dedicado uma atenção muito grande a todos os processos relacionados à transição energética, principalmente com relação às energias renováveis que é uma oportunidade muito grande para o Nordeste e para o Ceará, que possui um gigantesco potencial de geração eólica e solar”, disse o consultor de Energia da FIEC, Jurandir Picanço. “Temos duas grandes empresas voltadas para a produção de energia eólica. A Aeris: maior produtora de pás do País, no Pecém, e a Vestas, que é a maior empresa de produção de aerogeradores do mundo, instalada em Aquiraz. E existem inúmeras outras empresas menores nessa cadeia produtiva”, completou.

Mais notícias

Ver tudo de IN Business