REDUÇÃO DE CUSTOS E DIGITALIZAÇÃO

Setor bancário vai realizar mudanças radicais em suas operações até 2024

Por Marcelo - Em 2 de julho de 2021

Para enfrentar o desafio da transformação de custos em resposta à pandemia de Covid-19, 28% dos executivos de alguns dos maiores bancos do mundo, entrevistados pela KPMG, disseram que estão focando uma mudança radical no modelo operacional nos próximos três anos. O relatório apontou que as instituições precisam desenvolver estratégias custos inteligentes e observar as lições do passado para garantir uma implementação bem sucedida e a realização de benefícios.

Bancos investirão na redução de custos e digitalização de serviços                    Foto: Divulgação

A pesquisa, que ouviu mais de 200 líderes do setor bancário, mostrou ainda os dois principais problemas que os bancos vão enfrentar após a Covid-19. Para 21% deles é a perda de receita e para 20% é o gerenciamento de custos. Além disso, como resultado desse processo, 61% deles afirmaram que a prioridade estratégica da redução de custos aumentou e 59% disseram que a digitalização é o fator de custo mais importante.

Segundo o sócio líder do setor financeiro da KPMG no Brasil, Cláudio Sertório, o ambiente atual exige que a maioria dos bancos transforme os modelos operacionais e mova as bases de custos para uma estrutura mais sustentável, a fim de não perderem competitividade.

“Os bancos em todo o mundo precisarão reduzir a relação custo/lucro de forma relevante, talvez dez pontos percentuais ou mais. Eles precisam rever ou até reinventar o modelo operacional e aproveitar a agilidade, resiliência e transformação digital que mobilizaram as respostas iniciais à pandemia para garantir a otimização sustentável de custos. Aqueles que não se moverem com rapidez suficiente, provavelmente, serão incapazes de concorrer em preço, valor e entrega com os competidores mais enxutos e eficientes”, disse Sertório.

Questionados se os bancos dobraram os esforços em gerenciamento de custos, 85% disseram que estão acelerando esse processo e 83% disseram que estão redirecionando esforços de otimização de custos. Sobre as metas de redução de custos, 61% alegaram que houve um aumento nas metas em até 10% e 19% aumentaram a meta em mais de 10%.

Já no que diz respeito às economias significativas, o relatório apontou que elas consideram um médio prazo com relação aos custos: 66% definiram uma meta de redução de custos de mais de 10% nos próximos três anos e 15% procurarão levar mais de 10% da base de custos para os próximos 12 meses.

Mais notícias

Ver tudo de IN Business