TERMINAL HOLANDÊS É SÓCIO DO PECÉM

ThyssenKrupp construirá usina de H2V para a Shell no Porto de Roterdã

Por Marcelo - Em 13 de janeiro de 2022

A ThyssenKrupp Uhde Chlorine Engineers assinou um contrato de fornecimento com a Shell para o projeto de larga escala ‘Hydrogen Holland I’ no Porto de Roterdã, na Holanda. Com o projeto, a multinacional alemã vai desenvolver, produzir e instalar uma planta de hidrogênio verde de 200 megawatts (MW) com base em seu módulo de eletrólise de água alcalina de 20 MW de larga escala.

Montagem de eletrolisadores da ThyssenKrupp para a usina em Roterdã        Foto: Divulgação 

O trabalho de construção dos eletrolisadores deve começar neste primeiro semestre. A decisão final de investimento da Shell para construir o ‘Holland Hydrogen I’ está prevista para este ano, com o início da produção programada para 2024. Vale destacar que o Porto de Roterdã é sócio do Porto do Pecém, em cujo entorno será instalado o Hub de Hidrogênio Verde do Ceará.

“Estamos ansiosos para apoiar a construção de um importante Hub de hidrogênio na Europa Central e contribuir para a transição da Europa para a energia verde”, disse Christoph Noeres, head de Hidrogênio Verde da ThyssenKrupp. “Com o nosso tamanho de módulo padrão de larga escala, fortaleceremos ainda mais a estratégia de hidrogênio da Shell. A parceria combina perfeitamente nossa excelência em engenharia com a competência da Shell, um dos maiores players globais de energia”.

Excelência em engenharia

O centro das instalações do projeto ‘Hydrogen Holland I’ será em uma área de dois hectares, equivalente ao tamanho de três campos de futebol. O hidrogênio verde será produzido para a indústria e o setor dos transportes, sendo toda a eletricidade proveniente do parque eólico offshore Hollandse Kust (Noord), com garantias de origem de energia limpa.

O hidrogênio pode ser transportado por meio de um duto com cerca de 40 quilômetros de extensão que vai da usina até o Parque de Energia e Produtos Químicos da Shell, em Roterdã. Ser carbono neutro é a prioridade número um para a planta: materiais de construção reutilizáveis ​​serão aplicados sempre que possível e painéis solares serão incorporados nas paredes externas do polo. A fábrica será aberta a visitantes selecionados quando estiver totalmente operacional.

O hidrogênio verde é um dos principais pilares da transição energética para a descarbonização sustentável. Até 2025, espera-se que os países que representam mais de 80% do PIB global entrem na economia do hidrogênio. Como líder global em tecnologia para hidrogênio verde, a ThyssenKrupp impulsiona seus clientes a se transformarem em empresas livres de carbono.

Mais notícias

Ver tudo de IN Business